Pascale Chérubin, a nossa produtora de Immortelle na Córsega

pascale cherubin pascale cherubin

A primeira mulher a cultivar immortelle na Córsega

Cultivar a immortelle com paixão e savoir-faire

Permita-nos apresentar-lhe Pascale Chérubin, a primeira mulher a cultivar as famosas flores de immortelle. Hoje em dia, possui sete hectares na Córsega, onde cultiva esta flor com propriedades excecionais.

Depois de ter estudado biologia e obtido um mestrado em ecobiologia, o destino levou Pascale até à Córsega em 1994. Foi lá que se apaixonou pelas flores de immortelle, que cobrem a terra com um tapete amarelo durante os meses mais quentes do ano.

Pascale trabalha com a L'OCCITANE desde 2006, e utiliza métodos de agricultura biológica para produzir as flores de immortelle. Estas últimas são depois destiladas em óleo essencial, que compõem uma parte dos nossos produtos e, sobretudo, dos nossos cremes anti-envelhecimento.

Da vida citadina à agricultura biológica

immortelle immortelle

Nascida e criada em Marne, rodeada por vinhas ondulantes onde floresciam as uvas do Champanhe, Pascale conheceu o seu marido mais tarde, em Paris. Mas foi quando o seu marido recebeu uma oferta para um novo emprego que a aventura de Pascale começou. Ela e a sua família passaram das avenidas de Paris, para o campo corsa florido. onde Pascale descobriu a Immortelle e se apaixonou. Segundo ela, "Este novo local é perfeito para nós - uma vida no campo, num meio ambiente magnífico e preservado."

Na Córsega, Pascale utilizou o seu mestrado em ecobiologia e a sua experiência como professora para se aproximar um pouco mais da natureza. Começou por formar os futuros agricultores na gestão dos solos e na produção vegetal e juntou-se à associação CIVAM Bio Corsa, para os formar nos métodos de cultura biológica.

Pascale viu que o aumento da procura por immortelle colocava em perigo o ecossistema selvagem da Córsega. Cultivá-la ela mesma permitiria proteger a terra. Ela afirma:

"Os destiladores produzem o óleo essencial de immortelle desde 1990 na Córsega mas utilizavam flores selvagens. A cultura das flores de immortelle veio pôr termo à sobre exploração e foi o começo de uma nova indústria na ilha graças à L'OCCITANE. É por isso que eu quis produzir flores de immortelle na Córsega."

Pascale queria pôr em prática o que pregava, quando ela e a sua família começaram à procura da sua própria quinta.

Pascale e a Immortelle - Uma história de amor

immortelle immortelle

A admiração de Pascale por esta flor perfumada repousa na sua capacidade de adaptação. "Eu adoro a flor de immortelle porque é poderosa, mas refinada ao mesmo tempo. É uma flor perfumada e produz um óleo precioso. Cresce em condições extremamente difíceis mas continua bela. Adoro este duo de resiliência e de beleza."

Pascale celebra igualmente o facto do seu amor por esta flor se ter tornado uma parte importante da sua existência. "Mesmo que não trabalhe diariamente nas minhas culturas, eu e a minha família vivemos no coração dos nossos campos." diz. "A flor de immortelle marca o ritmo das nossas vidas e vivemos com ela todos os dias."

Semear sementes para proteger a terra

Em 2006, o CIVAM Bio apresentou Pascale à L'OCCITANE. Paralelamente, ela descobriu a quinta perfeita. Pascale lembra-se do começo. "No início, colhíamos sementes selvagens, enviávamos as sementes para a escola de horticultura de Romans-sur-Isère, em França, para que germinassem e eles enviavam-nos as plantas para as podermos plantar.", conta. "As pessoas que por ali passeavam perguntavam-se o que andávamos nós a fazer no meio de um campo de pedras!".

Hoje em dia, as culturas de immortelles de Pascale são alimentadas pela água da chuva natural e um pouco de fertilizante bio. A flor está "perfeitamente adaptada às condições climatéricas quentes e secas e ao solo corsa, fino e pedregoso".

zoom flor immortelle zoom flor immortelle

O ritmo das flores e a vida da família

campos de immortelle campos de immortelle

Hoje em dia, a casa de Pascale fica no meio dos campos, cercada por estas magníficas flores amarelas. O ritmo da quinta marca o ritmo de vida da sua família. As colheitas têm lugar desde as últimas duas semanas de junho até ao início de julho, no momento em que o verão começa a iluminar a ilha com a sua luz radiante e quando as crianças terminam a escola. Tal pode parecer idílico, mas esta não é uma vida sem dificuldades, como diz Pascale:

"Cada ano, há novas surpresas. Somos confrontados com mau tempo, com problemas mecânicos e existem riscos de segurança. O que pode ser muito stressante."

Uma vez colhidas, Pascale leva as flores diretamente ao seu amigo, Stephan Francisci, no próprio dia. Tal permite evitar a fermentação das flores, que pode danificar o óleo. Eles trabalham em estreita colaboração para garantir a melhor qualidade possível. 

Trabalhar a terra para a colheita

Depois da colheita, o forte sol de julho torna o solo quente e seco. As plantas de immortelle permanecem num estado adormecido e não despertam até que as primeiras gotas da chuva do outono refresquem o solo. A cada três semanas, durante o outono e a primavera, Pascale trabalha a terra e elimina as ervas daninhas com o seu trator.

Um pouco menos de um mês antes da colheita, Pascale e os seus vizinhos colocam a ceifeira no seu trator para que esteja pronta quando chegar o momento. Trata-se de um processo preciso: "se for feito demasiado cedo, a planta não tem tempo de produzir a quantidade optimal de óleo. Se for feito demasiado tarde, o vento e o calor secam a planta e a quantidade de óleo cai brutalmente."

cultura de immortelle cultura de immortelle

Construir uma relação frutífera

sol e natureza sol e natureza

Em 2006, quando Pascale e a L'OCCITANE se conheceram, a cultura da immortelle - não a colheita da flor no seu estado selvagem - era relativamente nova para todas as pessoas na Córsega. Com o apoio da L'OCCITANE, os métodos de cultura da lavanda foram utilizados para lançar este novo estilo de agricultura.

A L'OCCITANE e Pascale continuaram a colher os frutos da sua parceria desde então. A L'OCCITANE tem ainda uma produtora de immortelle dedicada para lhe fornecer este ingrediente poderoso, e Pascale tem o apoio da L'OCCITANE nos bons e nos maus momentos - como na altura de um incêndio que atingiu a sua quinta e a sua terra. Ao trabalhar com a L'OCCITANE, Pascale pode continuar a fazer o que ama verdadeiramente: cultivar a preciosa flor de immortelle.

Os nossos produtos inspirados na Immortelle

Descubra os nossos produtores