Jasmim, uma história de amor

Fina e preciosa, branca no verão e amarela no inverno, em forma de estrela ou corola, a bela flor de 200 espécies soube, de acordo com diferentes continentes e climas, adaptar-se para melhor nos surpreender.
Por Sarah Carrière Chardon

Apesar de suas origens indianas, podemos encontrá-la também na China, onde é servida como chá. Viajante, seu nome vem do árabe declinado do persa, e sua etimologia anuncia os estragos por vir: Jas significa o ‘desespero’, e Min, a ‘mentira’. É também a flor do amor, e agora também símbolo da revolução na Tunísia e da sedução amorosa.

O Deus do Amor Kâma no panteão indiano, ancestral de nosso Eros/Amor greco-romano, atirava flechas embebidas de jasmim. Cleópatra teria embalsamado com jasmim as velas de seu navio para aproximar-se de Marco Antonio. Madame Sévigné teria lançado a moda do jasmim em Versailles, onde o ofereciam, dizem, em troca de afagos...

No início, eram colhidos em jardins, e foi preciso esperar o ano de 1860 para ver os primeiros arbustos aparecerem graças ao desenvolvimento do canal que permite sua irrigação adequada. “Durante mais de um século e meio, a colheita e o tratamento industrial da jasmim para a obtenção de uma essência absoluta constituíram o monopólio do país. Em sua origem, o jasmim ocupava um lugar privilegiado na região: as plantações estendiam-se de Vence (Alpes marítimos) à Seillans (Var). Mas as superfícies cultivadas e a produção não pararam de diminuir. Atualmente, a área geográfica desse cultivo é delimitada por Bar-sur-Loup a leste e Grasse a oeste. Em Var, o cultivo estende-se de Fayence a Callian. “Grasse, única região produtora de jasmim até 1925, viu sua produção diminuir progressivamente”, explica Chloé Fargier, documentarista do Museu Internacional da Perfumaria.

A colheita do jasmim em Grasse é hoje um momento raro que ocorre no inicio do mês de agosto. Convém levantar-se um pouco antes do amanhecer para colhê-la durante a manhã. Frágil, a flor deve ser tratada nas horas seguintes à colheita. Sete milhões de flores são necessárias para a fabricação de 1 litro de essência de jasmin. Reservada para a perfumaria de luxo, tornou-se lenda ao figurar em algumas composições, dentre as quais o perfume “Joy” da Maison Patou, criado em 1930, para o qual é preciso 10.600 flores para criar aproximadamente 29 ml de perfume. O perfume sintético é democrático, em razão de suas propriedades ansiolíticas naturais, embora não resulte da poesia da flor verdadeira.

Assim como celebrar as bodas de jasmim marcam 66 anos de amor, também se aguarda com impaciência a 66ª festa do jasmim e sua batalha de flores que ocorre em Grasse, no mês de outubro.

Veja também:

Musée International du Parfum

2 boulevard du jeu de ballon

06130 Grasse

www.museesdegrasse.com

Colheita do Jasmim
Colheita do Jasmim
Grasse
Fotografia L'Occitane

Últimos artigos

Cinco dicas para prolongar o bronzeado

Cinco dicas para prolongar o bronzeado

Quando voltamos das férias, trazemos conosco tudo o que conquistamos durante o verão, inclusive uma pele dourada com o brilho do sol. A L’Occitane en Provence indica alguns hábitos de beleza que nos ajudam a continuar a brilhar com o passar das estações.
Cinco dicas de beleza para um primeiro encontro perfeito

Cinco dicas de beleza para um primeiro encontro perfeito

Uma combinação de ansiedade e estresse, um encontro é o momento certo para causar uma boa impressão. Para estar bonita e ao mesmo tempo com aspecto natural, a L’Occitane en Provence dá dicas para acertar na hora de se arrumar.
Os terraços da Provence  com as vistas mais incríveis que você já viu

Os terraços da Provence com as vistas mais incríveis que você já viu

Perfeitas para experiências marcantes durante verão, as vistas de rooftops a céu aberto são lugares perfeitos para relaxar a qualquer hora do dia. A L’Occitane en Provence conta quais são os melhores lugares para aproveitar as férias com uma vista panorâmica de tirar o fôlego.